Calcina nos rins: causas, sintomas e métodos de diagnóstico

Aprenda sobre as causas dos calcinos nos rins e como diagnosticar esta doença. Dicas e recomendações para quem enfrenta esse problema.

Uma das condições problemáticas comuns do corpo é a formação de calcinos nos rins, também conhecidos como pedra renal. Essa condição se manifesta como a formação de remanescentes minerais difíceis que se acumulam nos rins, causando dor aguda ou crônica, distúrbios urinários e outros sintomas desagradáveis.

As razões que contribuem para a formação de calcinatos nos rins podem variar: distúrbios nutricionais, deficiência de fluidos no corpo, predisposição genética ou outros problemas médicos. Para tratar essa condição e impedir seu desenvolvimento, é importante entender os fatores de risco e saber como diagnosticar efetivamente os cálculos dos rins.

Neste artigo, discutiremos as várias causas que podem levar à formação de calcinatos nos rins, bem como às técnicas de diagnóstico para identificar a presença de resíduos minerais e trat á-los de acordo. Aprenda quais medidas a serem tomadas para minimizar o risco de desenvolver calcina nos rins e manter seu sistema geniturinário saudável.

Calcina nos rins: causas e diagnóstico

Calcina nos rins: causas e diagnóstico

Causas da formação de calcinatos nos rins

Os calcinos nos rins são formações que consistem em sais de cálcio que podem se formar em várias partes do trato urinário. As principais causas da formação de calcinatos nos rins são:

  • Distúrbios metabólicos, como resultado dos quais há um excesso de cálcio no corpo;
  • Violação do equilíbrio ácido-alcalino da urina, que contribui para a formação de pedras;
  • Doença renal crônica, como pielonefrite ou glomerulonefrite;
  • Predisposição hereditária.

Quantas horas você dorme?
Menos de 5 horas
5-8 horas
58, 06%
Mais de 8 horas
32, 26%

O diagnóstico de cálculo dos rins

Determine a presença de calcinatos nos rins pode ser determinada pelo exame de ultrassom da cavidade abdominal ou tomografia computadorizada. Também necessariamente conduz uma análise de urina, que permite identificar a presença de cristais e o equilíbrio ácido-base perturbado. Em alguns casos, estudos adicionais podem ser necessários para esclarecer o diagnóstico e determinar as táticas do tratamento.

O diagnóstico precoce de calcinos renais permite iniciar o tratamento com o tempo e prevenir complicações perigosas, como obstrução do trato urinário e estagnação da urina nos rins.

O que são calcinos nos rins?

Os calcinos renais são pedras ou pedaços de pedras que se formam nos rins e ureteres devido ao acúmulo de minerais como cálcio e oxalato. Eles podem variar em tamanho, desde pequenos grãos de areia a grandes pedras que podem bloquear a saída da urina.

Os calcinos nos rins podem levar a muitos problemas, incluindo dor lombar, micção dolorosa, infecções do trato urinário e até insuficiência renal. Portanto, é importante detect á-los e trat á-los em tempo hábil.

O diagnóstico de calcinatos nos rins é feito com a ajuda de raios-X e ultrassom. Depois que as pedras são detectadas, é necessário determinar seu tamanho e número para escolher o tratamento mais eficaz.

  1. O tratamento pode incluir mudanças na dieta para reduzir os níveis de cálcio na urina
  2. Aumentando a ingestão de água para incentivar a excreção de pedra
  3. Tomar medicamentos que podem ajudar a quebrar as pedras ou reduzir seu tamanho
  4. Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária

É importante procurar ajuda médica nos primeiros sinais de calcinatos nos rins, a fim de iniciar o tratamento oportuno e evitar possíveis complicações.

Causas de calcificação

Os calcinos são formações que podem aparecer nos rins. Eles podem ocorrer por vários motivos, como:

  • Quantidades excessivas de cálcio no sangue podem levar à formação de calcinatos nos rins
  • A falta de fosfato ou magnésio no corpo pode contribuir para a formação de calcinatos.
  • Certas doenças, como hiperparatireoidismo, podem aumentar os níveis de cálcio no sangue e causar calcinatos para formar
  • Certos medicamentos e vitaminas, como a vitamina D, podem levar a níveis excessivos de cálcio e estimular calcinatos nos rins

O risco de calcinatos também pode ser aumentado em pessoas com obesidade, diabetes tipo 2, hipertensão e outras condições que podem afetar os níveis de cálcio no corpo.

Sintomas de calcinatos nos rins

Os calcina se formam nos rins quando há uma quantidade excessiva de ácido úrico no sangue. Isso pode acontecer devido à dieta, medicamentos, fatores genéticos ou outras causas. Os sintomas dos calcinos nos rins podem variar dependendo do tamanho.

Pequenas calcificações podem passar despercebidas e são mais frequentemente descobertas durante um exame físico geral. Calcificações maiores podem causar os seguintes sintomas:

  • Dor lombar – geralmente o primeiro sintoma de cálculo dos rins, que ocorre quando a pedra começa a viajar pelo ureter para a bexiga.
  • Cólica renal – dor intensa, geralmente é semelhante ao ataque.
  • Dor durante a micção – aparece quando a pedra já chegou à bexiga. Nesse caso, a pessoa tem ardência, dor e necessidade frequente de ir ao banheiro.
  • Fluxo fraco de urina – ocorre devido ao bloqueio do ureter quando os calcinatos se tornam muito grandes.
  • O sangue na urina – aparece apenas nos casos mais graves quando os calcinatos causam danos às paredes internas do trato urinário.

Se você tiver algum dos sintomas acima, consulte seu médico para diagnóstico e tratamento profissional.

Efeito dos calcinos na função renal

Os calcinos nos rins podem levar a vários distúrbios do funcionamento dos órgãos do sistema excretor. Assim, essas formações podem impedir a excreção livre de urina, que por sua vez interrompe a função renal e piora o estado da saúde humana.

Como os calcinatos afetam a função renal também é evidenciada pela presença de alguns sintomas. Há dor na região lombar, mudança na cor da urina, micção rápida. Também pode haver pressão alta, edema e uma diminuição no volume de urina.

Apesar de o diagnóstico de calcinos nos rins ser um processo bastante complexo, vale a pena saber que, entre os principais métodos de determinação da presença de formações no corpo, pode haver estudos de ultrassom e raios-X.

Dev e-se notar que a detecção e o tratamento oportunos dos calcinos nos rins é a chave para uma boa saúde humana. Portanto, com qualquer suspeita da presença de tais formações, é necessário consultar um especialista e passar pelo conjunto necessário de procedimentos médicos.

O diagnóstico de cálculo dos rins

Manifestações clínicas

Os calcinos nos rins podem se manifestar assintomaticamente e sintomaticamente. Eles são mais frequentemente encontrados incidentalmente em raios-X ou ultrassom por outros motivos.

No entanto, se grande em tamanho ou na presença de complicações, os calcinos podem causar dor lombar, sangue na urina e insuficiência renal congestiva. Infecções do trato urinário e obstrução ureteral também podem ocorrer.

Métodos de diagnóstico

Métodos de diagnóstico

Vários métodos são usados para diagnosticar calcinados nos rins:

  • Ultrassom (USG). Um método de diagnóstico primário simples, seguro e acessível para determinar o tamanho, a forma, o número e a localização dos calcinatos.
  • Tomografia computadorizada (CT). Um método mais preciso que permite ver até pequenos calcina e visualizar a presença de complicações.
  • Raio X. Um método que pode ser usado para detectar cálculos grandes, embora seja menos eficaz para detectar pequenos calcinatos.
  • EXISTICAÇÃO DE URINAL. O exame de urina pode mostrar a presença de cristais de cálcio, o que pode indicar a presença de calcinos nos rins.

Conclusão

Para o diagnóstico oportuno de calcinos nos rins, é muito importante não atrasar o contato com um médico quando os sintomas aparecem ou as anormalidades são detectadas nos raios-X. O diagnóstico precoce permite iniciar o tratamento eficaz e evitar possíveis complicações.

Ultrassom

Como funciona uma varredura de ultrassom?

Os ultrassom são ondas sonoras que têm uma frequência acima de 20 kHz, que está acima do limite da audição humana. O ultrassom (USG) é usado para visualizar órgãos e tecidos internos passando ondas de ultrassom pelo corpo.

Durante um exame de ultrassom, o paciente está deitado de costas, e o profissional de saúde aplica um gel à pele e coloca a cabeça do scanner de ultrassom contra ele. A cabeça emite ondas de ultrassom que viajam pelo corpo e são refletidas com órgãos e tecidos internos. As ondas retornadas são gravadas em um computador e formam uma imagem dos órgãos e tecidos internos, que podem ser vistos em uma tela de computador ou gravados no filme.

Por que passar por uma varredura de ultrassom?

O ultrassom pode ajudar a diagnosticar os calcinos nos rins. O ultrassom pode detectar massas que estão dentro do rim ou do ureter de desvio e determinar seu tamanho, número, forma e densidade. O ultrassom também pode detectar a presença de ductos renais dilatados, pedras e outras alterações anormais.

Como se preparar para um exame de ultrassom?

Como se preparar para o exame de ultrassom?

Geralmente, não há necessidade de preparação especial para o ultrassom. No entanto, se o estudo for realizado usando o método transabdominal, você não deve comer ou beber 6-8 horas antes do estudo, para que o estômago esteja vazio e o líquido não afete a qualidade da imagem.

Se o estudo for realizado usando o método transretal, é necessário limpar o intestino com um enema.

TC e ressonância magnética dos rins: diagnóstico eficaz de calcificações

O diagnóstico de calcinatos nos rins é um passo importante no tratamento. A TC e a RM são os métodos mais precisos para sua detecção.

A tomografia computadorizada (TC) é realizada usando raios-X e fornece várias camadas de imagens renais para detectar a presença de calcinatos. A ressonância magnética (RM) não usa raios-X, mas funciona com base em um campo magnético. A RM também fornece imagens dos rins com um alto nível de detalhe.

A TC e a ressonância magnética fornecem a capacidade de detectar calcinatos de diferentes tamanhos e formas, o que pode determinar se eles podem ser removidos cirurgicamente. Além disso, com base nos resultados da TC e RM, os especialistas podem determinar a extensão da calcificação e também avaliar a saúde geral dos rins.

Assim, a TC e a RM são os principais métodos de diagnóstico eficaz de calcinatos nos rins. O uso desses métodos permite obter os dados mais precisos e detalhados sobre as formações, o que aumenta significativamente as chances de tratamento be m-sucedido.

Diagnóstico de distúrbios funcionais dos rins

Os distúrbios funcionais dos rins são um dos principais fatores que contribuem para a formação de calcinatos nos rins. Para o diagnóstico oportuno, é necessário realizar exames médicos regulares, incluindo ultrassom, urina e exames de sangue.

O exame de ultrassom permite identificar possíveis desvios no tamanho dos rins e avaliar corretamente sua funcionalidade. Os exames de urina e sangue podem confirmar ou negar a presença de processos inflamatórios nos rins, além de mostrar o nível de concentração de cálcio no corpo.

Para diagnósticos adicionais de distúrbios funcionais dos rins, pode ser prescrito o exame de raios-X com um agente de contraste ou ressonância magnética. Esses métodos permitem determinar com mais precisão a causa dos distúrbios e escolher o método de tratamento mais eficaz.

  • Ultrassom
  • Urina e exames de sangue
  • Exame de raios-X
  • Imagem de ressonância magnética

Do ponto de vista da prevenção de distúrbios renais funcionais, é muito importante comer direito, exercitar e eliminar maus hábitos da dieta. A ingestão regular de vitaminas e minerais também ajuda a melhorar a funcionalidade dos órgãos e impedir a formação de calcinatos nos rins.

Diagnóstico diferencial de calcinatos nos rins

Se os calcinatos forem detectados durante o exame dos rins, é necessário realizar o diagnóstico diferencial. Consiste em identificar a causa da formação de calcinatos e sua forma.

Para identificar a causa da formação de calcinatos, é necessário realizar um exame detalhado do paciente. O médico deve prestar atenção à idade, a presença de doenças crônicas, hereditariedade e estilo de vida. Se os calcinatos forem formados no fundo de uma doença, é necessário tratar a doença subjacente.

Para identificar a forma de calcinatos, é necessário conduzir uma tomografia computadorizada. As imagens dos rins ajudarão a determinar a forma de calcinatos – pedras, sais ou grãos. Se os calcinatos forem detectados, também é necessário verificar a funcionalidade dos rins com ultrassom.

O diagnóstico diferencial é uma etapa importante na identificação das causas da calcificação nos rins. Ajuda a determinar o curso correto do tratamento e evitar possíveis complicações.

O tratamento de rim calcina

Uma das principais maneiras de tratar os calcinos renais é a observação. Se os calcinatos forem inferiores a 5 mm e não causarem muito desconforto, eles podem ser deixados sem intervenção. No entanto, se os sintomas se tornarem mais graves, os seguintes tratamentos serão usados:

  • A litotripsia extracorpórea (ELTS), um procedimento que usa ondas de ultrassom para destruir os calcinatos nos rins. As peças “pequenas” resultantes podem sair do corpo através do trato urinário;
  • Cirurgia parenquimatosa – Um procedimento realizado por um cirurgião para remover calcinados dos rins através de uma pequena incisão nas costas. Este método é usado quando os calcinatos são muito grandes ou estão localizados em certas partes do rim;
  • Uretroscopia com desintegração a laser – Este método é usado para remover calcinatos que não podem ser remotamente remotos. O médico faz uma incisão mínima e insere um uretroscópio na bexiga através do qual ele ou ela pode ver os calcinatos. O médico então usa energia a laser para dividir os calcinos em pedaços muito pequenos.

Dev e-se notar que, com qualquer método de tratamento, é necessário procurar aconselhamento médico de um especialista que prescreverá o método correto de exame e tratamento. Todos os fatores, como o tamanho dos calcinos, seu número e os sintomas causados por eles, devem ser considerados antes de decidir sobre o tratamento.

Maneiras de tratar os calcinos nos rins

Maneiras de tratar os calcinos nos rins

Terapia medicamentosa

A terapia medicamentosa pode ajudar a tratar os calcinatos nos rins. Um especialista pode prescrever medicamentos que podem ajudar a dissolver as pedras e impedir a formação futura de pedra. Vitaminas e minerais suplementares, como a vitamina D, são comumente usados, o que pode ajudar a aumentar a absorção de cálcio nos ossos e reduzir a deposição de cálcio nos rins.

Litotripsia ultrassônica

A litotripsia ultrassônica é um procedimento para esmagar as pedras renais intracamerais usando o ultrassom. É um método eficaz de tratar calcinatos e ajuda a evitar a cirurgia. No entanto, nem todas as pedras podem ser esmagadas com sucesso por esse método e pode haver complicações após a execução.

Remoção cirúrgica de pedras

Vale a pena considerar a remoção cirúrgica dos calcinos renais nos casos em que as pedras são muito grandes ou fora da área disponível para litotripsia ultrassônica. Embora este seja um método mais radical e caro, pode ser necessário remover completamente as pedras dos rins.

Adesão alimentar

A observância da dieta < pan> fatores que influenciam a calcificação incluem um histórico familiar positivo, idade e sexo. Medidas preventivas, como comer uma dieta saudável, aumentar a ingestão e o exercício de líquidos, podem ajudar a prevenir a calcificação nos rins e manter a boa saúde dos rins.

Seguir uma dieta pode ajudar a evitar a formação de novos calcinatos. Um especialista pode recomendar limitar a ingestão de alimentos ricos em cálcio, como produtos lácteos e nozes, e limitar a ingestão de sal, o que pode contribuir para a formação de pedras nos rins.

Dieta adequada para cálculo dos rins

Seguindo as recomendações do médico, os pacientes com calcinados nos rins devem observar sua dieta e consumir apenas os alimentos que não aumentam o risco de formação de pedra. Além disso, é importante monitorar os níveis de fluido no corpo e consumir água suficiente para reduzir a concentração de cálcio na urina.

  • Consumo limitado de carne e queijo: muita proteína no corpo pode aumentar o nível de nitrogênio na urina, o que por sua vez pode determinar o risco de formação de pedra.
  • Alimentos ricos em cálcio: se a presença de cálcio na urina for a principal causa de pedras, é melhor consumir alimentos que contêm cálcio em combinação com outras substâncias. Por exemplo, leite e iogurte.
  • Consumo limite de alimentos contendo oxalato: oxalatos é comumente encontrado em chocolate, café, chá preto, suplementos alimentares e certos vegetais, incluindo espinafre e ruibarbo.
  • Consumir muita água: aumentar a ingestão de água ajuda a reduzir a concentração de cálcio na urina.

No geral, a nutrição adequada desempenha um papel fundamental na prevenção da formação de pedra renal. Os pacientes devem observar o teor de proteínas de sua dieta e consumir menos alimentos que contêm oxalato, aumentando a ingestão de água.

Vídeo sobre o assunto:

Q & amp; A:

O que são calcinos nos rins?

Os calcinos são formações compostas de cristais de cálcio nos rins. Eles podem variar de forma e tamanho, de grãos pequenos a pedras grandes.

Quais são as causas dos calcinos nos rins?

As razões para a formação de calcinos nos rins podem ser diferentes: violação do metabolismo do cálcio no corpo, abuso de alimentos ricos em cálcio, estagnação da urina nos rins, urolitíase, presença de infecção, predisposição genética e outros.

Quais sintomas podem indicar a presença de calcinatos nos rins?

Geralmente, os calcinos não mostram sintomas até começarem a prender o trato urinário. Nesse caso, sintomas como dor ao urinar, dor lombar, náusea, vômito, aumento de sentimentos de fadiga e febre podem ocorrer.

Como os calcinos nos rins podem ser diagnosticados?

Vários métodos podem ser usados para diagnosticar calcinatos nos rins, como ultrassonografia, raios-X e tomografia computadorizada. Testes de sangue e urina também podem ser necessários.

Quais podem ser as complicações de ter calcinado nos rins?

As complicações na presença de calcinatos nos rins podem ser várias, incluindo estagnação da urina, danos ao tecido renal, infecções do trato urinário, hidronefrose, desenvolvimento de insuficiência renal aguda etc.

Quais são os tratamentos para calcinar nos rins?

Vários métodos podem ser usados no tratamento de calcinos renais, incluindo o uso de medicamentos para quebrar as pedras, litotripsia por ultrassom, remoção de pedra laparoscópica, etc. Controlar a dieta e a ingestão de água também é importante.

Quais são as medidas preventivas para impedir a formação de cálculo dos rins?

Medidas preventivas para prevenir os calcinos nos rins podem incluir limitar alimentos gordurosos e picantes, reduzir alimentos ricos em cálcio, beber muita água, exercitar, controlar os níveis de acidez da urina e muito mais

Com que frequência devo ser examinado para detectar a presença de calcinatos nos rins?

A frequência de ser rastreada para detectar a presença de calcinatos nos rins pode depender da presença de fatores de risco, sintomas e diagnósticos anteriores. No entanto, em geral, os especialistas recomendam ser exibidos pelo menos uma vez por ano.

Prevendo a formação de calcinos nos rins

A formação de calcinatos nos rins está associada a vários fatores, incluindo distúrbios metabólicos, níveis aumentados de cálcio e outros minerais no corpo, distúrbios alimentares e outros. No entanto, após um estilo de vida saudável e comer uma dieta saudável pode reduzir significativamente o risco de calcinar a formação nos rins.

É importante consumir fluidos suficientes, especialmente água, mas você também pode beber chai e outras bebidas sem adicionar açúcar. O fluido ajuda a lavar toxinas e desperdiçar o corpo, o que impede a formação de pedra. Recomenda-se consumir 8 a 10 copos de água por dia.

Também é importante monitorar os níveis de cálcio no corpo. Testes regulares e uma consulta com um nutricionista podem ajudar a avaliar adequadamente os níveis de cálcio e escolher a dieta certa. É importante comer alimentos ricos em cálcio, mas não em excesso. Também é necessário limitar o consumo de alimentos ricos em oxalato (espinafre, ruibarbo e outros), pois eles podem contribuir para a formação de pedras nos rins.

Após um estilo de vida saudável também é importante para impedir a formação de pedras. O exercício regular ajudará você a manter um peso corporal ideal, o que também reduz o risco de calcinar a formação nos rins. Também é importante evitar situações estressantes, pois elas podem aumentar os níveis de cálcio no corpo.

Conclusões

As calcificações renais são um fenômeno comum que pode ocorrer devido a várias razões. Pode ser causado por uma dieta ruim, deposição mineral e outros fatores.

Diagnosticar os calcinos nos rins podem ser diagnosticados com a ajuda da ultrassonografia renal, TC, ressonância magnética e outros métodos. A eficácia dos exames conduzidos depende da seleção correta do método e da experiência do especialista que conduz o estudo.

Os fatores que influenciam a calcificação incluem um histórico familiar positivo, idade e sexo. Medidas preventivas, como comer uma dieta saudável, aumentar a ingestão e o exercício de líquidos, podem ajudar a prevenir a calcificação nos rins e manter a boa saúde dos rins.

A detecção precoce de calcificações pode ajudar a evitar complicações graves e melhorar bastante o prognóstico da doença.

Vantagens das medidas preventivas: Desvantagens de medidas preventivas:

  • Impedir a formação de calcinatos;
  • Manter a saúde renal;
  • Melhorando a saúde geral.
  • Desenvolvimento de doença renal;
  • Aparência de pedras nos rins;
  • Diminuição da qualidade de vida;
  • Resultado fatal.