Enterovírus: uma causa de paralisia em crianças

Saiba o que é o enterovírus e como ele pode causar paralisia em crianças. Aprenda sobre sintomas, tratamento e medidas preventivas para proteger seus filhos contra esse vírus.

Enterovírus é um grupo de vírus que pode causar uma variedade de doenças, incluindo infecções respiratórias, meningite viral e exantemas. No entanto, uma das consequências mais graves de uma infecção por enterovírus é a paralisia. Esta forma rara mas perigosa da doença pode levar à perda da função motora em crianças, necessitando de intervenção médica imediata.

Os sintomas de paralisia causada por enterovírus podem incluir fraqueza ou perda de força nas pernas, braços ou rosto, coordenação prejudicada dos movimentos e dores musculares e articulares. Em alguns casos, estes sintomas podem preceder uma infecção respiratória ou sintomas gastrointestinais.

As crianças são particularmente vulneráveis ao enterovírus porque o seu sistema imunitário ainda está em desenvolvimento e não consegue lidar eficazmente com a infecção. Por isso, é importante tomar medidas para prevenir a transmissão, como lavar as mãos regularmente, evitar contato com pessoas e superfícies infectadas e levar seu filho ao médico quando surgirem sintomas suspeitos.

O que é enterovírus

Os enterovírus são transmitidos pela via fecal-oral, ou seja, por meio de alimentos, água contaminados ou contato com objetos infectados. Eles também podem ser transmitidos através de gotículas transportadas pelo ar quando uma pessoa infectada tosse ou espirra.

Os enterovírus geralmente se manifestam como sintomas de resfriado, como febre, coriza, tosse e dor de garganta. No entanto, em alguns casos, podem causar doenças mais graves, como poliomielite e meningite viral.

Os sintomas da poliomielite incluem paralisia e fraqueza muscular, que podem levar a vários graus de paralisia. A meningite viral causa inflamação das membranas do cérebro e da medula espinhal, manifestada por dor de cabeça, rigidez de nuca e febre.

Exames laboratoriais, como amostras de fezes, urina ou secreção nasofaríngea, são realizados para diagnosticar infecção por enterovírus. O tratamento para a infecção por enterovírus geralmente visa aliviar os sintomas e manter o equilíbrio de fluidos.

Para prevenir a transmissão do enterovírus, deve-se praticar uma boa higiene das mãos, os alimentos devem ser lavados regularmente e devem ser usados desinfetantes para limpar as superfícies. As vacinas contra a poliomielite também estão disponíveis e são recomendadas para crianças em muitos países.

Vídeo sobre o tema:

Sintomas de enterovírus

Os principais sintomas do enterovírus nas crianças incluem:

  • Alta temperatura corporal (pirexia).
  • Dor de cabeça.
  • Dor de garganta.
  • Perda de apetite.
  • Fraqueza e fadiga.
  • Dores musculares.
  • Tosse.
  • Erupções cutâneas.
  • Nausea e vomito.
  • Dor abdominal.

Algumas crianças podem ter uma infecção por enterovírus sem sintomas ou sintomas muito leves. No entanto, algumas crianças podem desenvolver complicações mais graves, como meningite, encefalite ou paralisia.

Como o enterovírus é transmitido

Também é possível transmitir enterovírus através de gotículas de saliva ou tosse, especialmente através de contato próximo com uma pessoa doente. O vírus também pode ser transmitido através de água ou comida contaminada, especialmente se eles não tiverem sido adequadamente preparados ou manuseados.

As crianças que frequentam os jardins de infância ou escolas estão em risco particular porque podem ser mais suscetíveis à infecção e ter mais contato com outras crianças.

É muito importante seguir as regras básicas de higiene para impedir a transmissão do enterovírus. Lave as mãos regularmente com sabão e água morna, especialmente depois de ir ao banheiro ou entrar em contato com objetos doentes ou contaminados. Lave bem frutas e vegetais antes do consumo. Evite contato com pessoas doentes e limite as visitas a locais públicos durante um surto de enterovírus. Também é importante monitorar seu sistema imunológico, pois um forte sistema imunológico protege o corpo contra infecções.

Q & amp; A:

O que é enterovírus?

O enterovírus é um grupo de vírus que entram no corpo através do sistema digestivo e causam uma variedade de doenças, incluindo paralisia em crianças.

Como o enterovírus causa paralisia em crianças?

O enterovírus pode entrar nas células nervosas no corpo, causando inflamação e destruição. Isso pode levar à paralisia, especialmente em crianças cujos sistemas nervosos ainda não estão totalmente desenvolvidos.

Quais sintomas indicam que uma criança foi infectada com enterovírus?

Os sintomas da infecção por enterovírus podem incluir febre, dor abdominal, vômito e diarréia. Algumas crianças também podem sofrer sintomas do sistema nervoso, como paralisia ou fraqueza muscular.

Como posso proteger meu filho de contrair enterovírus?

Para proteger contra a infecção pelo enterovírus, é necessário observar a higiene das mãos, especialmente depois de visitar locais públicos, ventilando frequentemente as instalações, evite o contato com pessoas doentes e monitore o status do sistema imunológico da criança

Diagnóstico de enterovírus

Para diagnosticar a infecção por enterovírus, vários testes de laboratório são realizados para detectar o vírus e confirmar seu papel no desenvolvimento da doença. O diagnóstico é baseado no exame do material biológico do paciente, como fezes, sangue, líquido oral ou urina.

Os principais métodos de diagnóstico de enterovírus incluem:

  1. Isolamento do vírus: os especialistas isolam e cultivam o vírus do material biológico do paciente. Culturas celulares especiais ou animais de laboratório geralmente são usados para isso. O vírus isolado é então examinado para determinar suas espécies e propriedades.
  2. Detecção de material genético: a reação em cadeia da polimerase (PCR) ou outros métodos pode ser usada para detectar e esclarecer a presença de material genômico de enterovírus no material biológico de um paciente. Este método permite uma determinação rápida e precisa da presença e espécie de enterovírus.
  3. Métodos sorológicos: permita a detecção de anticorpos em enterovírus no sangue do paciente. Isso torna possível determinar se houve uma infecção anterior com enterovírus e quão ativa a resposta imune foi.

É importante observar que os resultados do laboratório devem ser avaliados por médicos profissionais e usados em conjunto com os sintomas clínicos e a história do paciente para estabelecer um diagnóstico de infecção por enterovírus.

Tratamento do enterovírus

O tratamento do enterovírus é realizado dependendo do quadro clínico, da idade do paciente e da presença de complicações. Na maioria dos casos, a infecção por enterovírus é autolimitada e requer apenas tratamento sintomático.

Como parte da terapia sintomática, são sugeridas as seguintes medidas:

  • Descanso e regime. Com a infecção por enterovírus, um regime de repouso é particularmente importante para permitir que o corpo lide com o vírus. Recomend a-se limitar a atividade física da criança e garantir que ela ou ela durma o suficiente.
  • Hidratação. Com febre alta e aumento da perda de fluidos, o corpo precisa compensar esse déficit. Recomend a-se dar à criança mais fluidos (água, sucos, bebidas quentes) para evitar a desidratação.
  • Antipirético. Em caso de febre, é recomendável usar antipiréticos (paracetamol, ibuprofeno) para reduzir a temperatura e aliviar a condição da criança.
  • Analgésicos. Se a criança estiver com dor, os medicamentos analgésicos (por exemplo, paracetamol) podem ser usados para aliviar a dor.
  • Medicamentos antivirais. Em alguns casos, medicamentos antivirais podem ser necessários para combater com mais eficácia o vírus. No entanto, a eficácia desse tratamento permanece questionável e requer pesquisas adicionais.

Formas complicadas de infecção por enterovírus (por exemplo, meningite, encefalite, paralisia) podem exigir hospitalização da criança e tratamento mais grave, incluindo terapia intensiva e medicamentos antivirais específicos.

Complicações do enterovírus

O enterovírus que causa paralisia em crianças pode levar a uma variedade de complicações que podem ser graves e exigir intervenção médica. A seguir, são apresentadas as complicações mais comuns associadas a este vírus:

  • Meningite: O enterovírus pode causar inflamação das membranas cerebrais que levam à meningite. Esta é uma doença grave caracterizada por febre alta, dor de cabeça, rigidez do pescoço e dor intensa.
  • Encefalite: Em alguns casos, o enterovírus pode entrar no cérebro e causar inflamação conhecida como encefalite. Isso pode levar a convulsões, consciência prejudicada, problemas respiratórios e outros sintomas graves.
  • Miocardite: O enterovírus pode causar inflamação do músculo cardíaco, levando à miocardite. Essa complicação pode causar problemas cardíacos, incluindo arritmia, baixa circulação e insuficiência cardíaca.
  • Pneumonia: O enterovírus às vezes pode causar inflamação dos pulmões, levando à pneumonia. A pneumonia pode levar a problemas respiratórios, tosse e outros sintomas relacionados ao sistema respiratório.

As complicações do enterovírus requerem monitoramento e tratamento médico. Se seu filho tiver sintomas que causam preocupação, entre em contato com seu médico para diagnóstico e tratamento.

Paralisia em crianças de enterovírus

Paralisia em crianças por enterovírus

A paralisia causada pelo enterovírus pode ser temporária ou permanente, dependendo da gravidade da infecção. Os sintomas de paralisia podem incluir fraqueza ou perda de força nos membros, problemas com coordenação de movimentos e alterações na sensação.

  • O tipo mais característico de paralisia causado pelo enterovírus é a poliomielite. A poliomielite pode levar à paralisia das pernas, braços ou até músculos respiratórios, o que pode ser com risco de vida.
  • Além da poliomielite, o enterovírus pode causar outras formas de paralisia, como fraqueza muscular aguda e inflamação cerebral.

O tratamento para paralisia causado pelo enterovírus pode incluir fisioterapia, reabilitação e terapia medicamentosa para reduzir a inflamação e melhorar a função do sistema nervoso. É importante observar que a prevenção é a maneira mais eficaz de prevenir a paralisia em crianças. As vacinas contra a poliomielite são recomendadas para todas as crianças impedir a infecção com enterovírus e o desenvolvimento da paralisia.

Inflamação do cérebro de enterovírus

A encefalite causada por enterovírus pode apresentar uma variedade de sintomas, incluindo febre, dor de cabeça, convulsões, mudanças na consciência e paralisia e interrupção do sistema nervoso. Esta é uma condição séria que requer atenção médica imediata.

Os enterovírus podem entrar no corpo humano através do sistema digestivo ou do trato respiratório. Eles podem então se espalhar por todo o corpo, incluindo o cérebro. A inflamação cerebral causada pelo enterovírus pode ser especialmente perigosa para as crianças, porque seus sistemas nervosos ainda estão se desenvolvendo.

O diagnóstico de encefalite causado por enterovírus inclui um exame médico, testes de sangue e líquido cefalorraquidiano e testes adicionais, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética da cabeça. O tratamento inclui terapia de suporte para aliviar os sintomas e combater a infecção, bem como medidas de reabilitação para restaurar a função do sistema nervoso.

A prevenção de encefalite causada por enterovírus inclui imunizações e medidas de higiene, como lavagem regular nas mãos, evitar o contato com pessoas doentes e comer apenas água potável e alimentos. Os pais devem estar especialmente atentos à condição de seus filhos e buscar atendimento médico imediato se aparecer algum sintoma suspeito.

Doenças do sistema digestivo de enterovírus

Doenças do sistema digestivo por enterovírus

As doenças de órgãos digestivos causados pelo enterovírus podem apresentar uma variedade de sintomas e graus variados de gravidade. Alguns deles podem ocorrer como formas leves de gastroenterite, que são manifestadas por diarréia, vômito, dor abdominal e diminuição do apetite. Nesses casos, o tratamento é geralmente sintomático, com o objetivo de aliviar os sintomas e prevenir a desidratação.

No entanto, o enterovírus também pode causar doenças digestivas mais graves, como meningite e hepatite enteroviral. A meningite causa inflamação das membranas cerebrais e da medula espinhal, o que pode levar a complicações graves, incluindo paralisia e disfunção do sistema nervoso. A hepatite enteroviral afeta o fígado e pode causar icterícia da pele e olhos, enzimas hepáticas elevadas e função hepática prejudicada.

Testes de laboratório, como reação em cadeia da polimerase (PCR) e testes de fezes para o vírus, são frequentemente realizados para diagnosticar doenças digestivas causadas por enterovírus. O tratamento é geralmente prescrito dependendo da gravidade da doença e inclui terapia sintomática e, em alguns casos, o uso de medicamentos antivirais específicos.

Prevenção de enterovírus

A prevenção da infecção por enterovírus é muito importante para proteger as crianças de possíveis complicações. Existem várias medidas básicas que podem ajudar a reduzir o risco de contratar enterovírus.

1. Higiene das mãos: lavagem regular das mãos com água e sabão é uma das maneiras mais eficazes de prevenir a infecção por enterovírus. É importante ensinar seu filho a lavar as mãos adequadamente e constantemente lembrand o-o de praticar uma boa higiene das mãos.

  • Lave as mãos antes de comer;
  • Lave as mãos depois de usar o banheiro;
  • Lave as mãos antes do contato com outras crianças ou objetos, especialmente em locais públicos. 2.

2- Evite contato com pessoas doentes: enterovírus é transmitido através da rota fecal-oral, por isso é muito importante evitar o contato com pessoas doentes. Se houver pessoas com infecção por enterovírus na família ou no ambiente da criança, é importante limitar o contato da criança com elas e tomar precauções.

  1. Não permita que a criança beba dos mesmos utensílios com pessoas doentes;
  2. Observe a limpeza e a condição sanitária dos objetos com os quais a criança entra em contato;
  3. Se possível, evite visitar hospitais, jardins de infância e outros locais públicos durante a epidemia.

3. Fortalecimento da imunidade: a boa imunidade é uma defesa confiável contra muitas infecções, incluindo enterovírus. Para fortalecer o sistema imunológico da criança, dev e-se prestar atenção aos seguintes pontos:

  • Nutrição adequada: a criança deve obter todas as vitaminas e minerais necessários que ajudarão a fortalecer seu sistema imunológico;
  • Atividade física: esportes e exercícios regulares ajudarão a fortalecer o sistema imunológico;
  • Dormir o suficiente: dormir o suficiente ajuda a aumentar a imunidade;
  • Imunizações: Manter o calendário de imunização em dia pode ajudar a proteger seu filho de infecções perigosas.

Seguir estas etapas simples ajudará a reduzir o risco de contrair enterovírus e a proteger a saúde do seu filho.

Higiene das mãos

Aqui estão algumas regras simples de higiene das mãos a seguir:

  1. Lave as mãos com frequência. Lembre-se de lavar as mãos antes de comer, após usar o banheiro, após contato com animais ou seus dejetos e após tossir, espirrar ou limpar o nariz.
  2. Use água morna e sabão. Lavar as mãos com água e sabão por 20 segundos ajuda a matar bactérias e vírus. Observe que os anti-sépticos à base de álcool não são eficazes contra o enterovírus, portanto, água e sabão devem ser preferidos.
  3. Lave bem todas as superfícies das mãos, incluindo áreas especiais como dedos, unhas e entre os dedos.
  4. Não se esqueça de usar lenços ou toalhas para limpar as mãos após a lavagem. Isso ajudará a remover qualquer umidade e bactérias restantes.
  5. Se não for possível lavar as mãos, use lenços antissépticos ou géis para limpeza das mãos. Lembre-se, no entanto, que estes não substituem a lavagem completa das mãos, mas apenas uma solução temporária.

A higiene das mãos é uma forma simples e eficaz de prevenir a propagação de enterovírus e outras doenças infecciosas. Lembre-se de que a saúde das crianças depende principalmente de nós, adultos, por isso ensine-lhes hábitos adequados de lavagem das mãos e certifique-se de que os seguem.